Pacientes



Inflamao (ou infeco) na garganta pode causa mau hlito

12/07/2018 18h57

Amigdalite é uma inflamação e/ou infecção das amígdalas. As amídalas são duas estruturas arredondadas que ficam na garganta, podendo ser visualizadas à abertura da boca. Constitui nossa primeira linha de defesa contra os micro-organismos.

A amigdalite é mais frequente em crianças, podendo também acometer adultos, segundo matéria publicada na Rondonotícias. Na criança, quando de repetição pode acarretar perda de peso, alteração do desenvolvimento, bem como efeitos indesejáveis decorrente do uso frequente de antibióticos.

Viral ou bacteriana
A amigdalite pode ser classificada em viral ou bacteriana, a depender do agente causador. A do tipo viral é a mais comum. Já a bacteriana é causada comumente pela bactéria Streptococcus pyogenes, mais conhecida como estreptococo do grupo A. Está também relacionada à febre reumática, podendo levar a problemas nas articulações e coração. A prevenção é realizada com uso de penicilina e derivados, devendo-se realizar na suspeita exames especializados bem como avaliação pelo otorrino e reumatologista.

Os oito sinais mais comuns de que você está sofrendo de amigdalite são:
- dor de cabeça,
- dor ou dificuldade para engolir,
- febre,
- mal estar,
- falta de apetite,
- rouquidão da voz,
- dificuldade para dormir, e 
- mau hálito

A doença pode durar até duas semanas, quando se manifesta na forma aguda. Ela é considerada recorrente quando acontece por 7 vezes em um ano, 5 episódios por ano em 2 anos consecutivos ou 3 episódios anuais em 3 anos consecutivos.

Mau Hálito
Segundo a Dra Fernanda Paula, do Grupo Oris, de Brasília, o mau hálito causado pela amidalite é facilmente contornável com a ingestão de muito líquido e "lubrificação" constante da garganta com balas - por exemplo, de mel - e chicletes, sem açucar. Importante; e "nao permitir que boca e garganta fiquem secas, sem viscosidade, e evidentemente, nao deixar de combater a causa da amidalite", diz a especialista no tratamento da halitose. 

Prevenção
A amigdalite é contagiosa quando transmitida através de gotículas de saliva presentes na tosse ou nos espirros. Sendo assim, a maneira mais adequada de evitar o contágio e preveni-lá é:

- Tossir sempre com um lenço na boca;
- Lavar muito as mãos, inclusive quando tiver contato com objetos públicos;
- Não compartilhar toalhas, pratos ou talheres.

No caso de amigdalite é muito importante beber bastante líquido, manter repouso, ter alimentação saudável e procurar um otorrinolaringologista. Quando não tratada corretamente, a amigdalite aguda pode evoluir para abscesso periamigdaliano, neste caso a dor e dificuldade para engolir são intensas e há dificuldade de abertura da boca (Trismo). Estes casos exigem tratamento mais intenso que compreende drenagem podendo necessitar de internação hospitalar e medicação endovenosa.

Vale ressaltar a importância do tratamento adequado para evitar complicações e recidivas. Após o uso de antibióticos é preciso sempre repor a flora intestinal com lactobacilus e bifidobactérias através de leite fermentado ou de medicação própria encontrada nas farmácias.
   
  • Nenhum comentrio publicado. Clique aqui para comentar.
Grupo Hlito   perto de voc
O nosso objetivo é orientar profissionais de saúde e pacientes em busca do melhor tratamento da halitose.

No mapa e na relação abaixo, estão cadastrados periodontistas e profissionais de saúde com formação a nível de pósgraduação em tratamento de halitose no Brasil e exterior.

São profissionais com efetiva experiência prática e constante atualização acadêmica, que seguem o rígido conceito da saúde conservadora (menos intervencionista), com olhos para os diversos fatores sistêmicos causadores do mau hálito.

Encontre uma clínica ou consultório do Grupo Hálito perto de você:
AC AM RR PA AP MA PI CE RN PB PE AL SE BA ES RJ MG SP PR SC RS MS RO MT TO GO DF